Atualidade e interatividade são temas de discussão

29 05 2008

No último dia 16 de maio, uma aula interdisciplinar envolveu os acadêmicos do primeiro, terceiro, quinto e sétimo períodos de Jornalismo. As disciplinas Sociologia da Comunicação, Técnica de Reportagem e Entrevista II, Edição Jornalística e Teorias do Jornalismo trouxeram os pioneiros de um site jornalístico de Chapecó.

De acordo com o professor de Teorias do Jornalismo e coordenador do curso, Jorge Arlan, o objetivo foi discutir com os alunos a interatividade e instantaneidade que a era digital proporciona. Os responsáveis pelo portal de notícias DeFato falaram sobre as dificuldades financeiras, o público-alvo e a seleção de notícias.





Terceiro período faz a cobertura do Seminário de Atualidades

23 04 2008

Nesta edição do Seminário de Atualidades, a turma do terceiro período de jornalismo fará a cobertura do evento. Eles produzirão matérias sobre as palestras, apresentações artísticas e um panoroma geral sobre os assuntos tratados no seminário, cujo tema é “As expressões marcantes na literatura, na música e no cinema brasileiro”.

Diariamente participantes do evento receberão uma publicação em formato A4, frente e verso, com a programação e as informações mais importantes do dia anterior. A primeira edição, a ser distribuida na terça-feira, dia 22 de abril, por exemplo, fará um breve histórico de outras edições do Seminário de Atualidades. Esse trabalho é coordenado pela professora de Planejamento Gráfico, Mariângela Torrescasana.

Depois do seminário a idéia é fazer um jornal com oito páginas e aprofundar as discussões sobre literatura, música e cinema. Mais uma vez com o objetivo de promover a interdisciplinaridade, participarão neste projeto as matérias de Redação Jornalística e Fotografia.

“Pegar ritmo de um jornal diário, fazer um trabalho diferenciado e, até mesmo, motivar os alunos a assistir o seminário” – para Aline Matte, do terceiro período, estes são os motivos deste trabalho ser tão interessante. De acordo com a professora Mariângela, a cobertura do seminário de atualidades também será importante para os alunos colocarem em prática os conteúdos, além de ajudar na capacidade de síntese dos estudantes e em como trabalhar em equipe.





Seminário de Atualidade 2008: um espaço para discussões no curso de jornalismo

23 04 2008

Discutir questões da atualidade que possam ser geradoras de conhecimento e ouvir diversas opiniões sobre um mesmo tema são fatores importantes na vida de qualquer “aspirante” a jornalista. O Seminário de Atualidade, promovido anualmente pelo curso de Jornalismo, procura sempre trazer aos acadêmicos a possibilidade para este tipo de aprendizado.

A edição deste ano inicia no dia 22 de abril. Terá como foco para as discussões o tema “As expressões marcantes na literatura, na música e no cinema brasileiro”. Para o primeiro dia estará presente o palestrante Maurício Monteiro, professor de Música do Conservatório Musical do Brooklin, que vai falar aos presentes sobre “Música e brasilidade: do lundu ao funk”. No dia 23 as discussões apóiam-se em dois temas: “Um cenário do cinema no Brasil: raízes, impactos e perspectivas” e “O significado de Glauber Rocha para o cinema brasileiro”, com o sociólogo e professor universitário Sérgio Santeiro. Para este dia também está programada a exibição de filmes curta-metragens para posterior discussão sobre conteúdo e forma.

No terceiro dia, além da palestra “Obras que disseram o Brasil”, com o escritor Paulo Seben, haverá o painel “Expressões marcantes: outros olhares” com a participação do professor de letras da Unochapecó Valdir Prigol, do teatrólogo Avito Darci Correa e do especialista em cinema João Fernando Lucas.

O último dia encerra o cronograma do Seminário com a explanação da jornalista e mestre em Antropologia Social Cláudia Lago, que falará sobre “O ethos romântico do Jornalismo percebido pelo cinema”.

Todas as discussões acontecem no auditório do bloco G e iniciam às 8h. É válido lembrar que a participação dos acadêmicos de jornalismo é indispensável uma vez que é obrigatória para conclusão do curso e recebimento do diploma.





Atrasado, mas tá valendo.

10 04 2008

É tão engraçado como quase tudo, menos jornalista, vira notícia. Alguns lembraram sim, até deram um tapinha nas costas daquele colega e blábláblá. E não falo de comemoração, mas de um momento de reflexão pessoal sobre o real papel que estamos, ou que deveríamos, ou que vamos cumprir como jornalistas e formadores de opinião.

No dia 7, foi comemorado um dos nossos três dias comemorativos (eita gente que se sente importante), o Dia do Jornalista.

A data foi estipulada pela Associação Brasileira de Imprensa (ABI) em homenagem ao jornalista e médico João Batista Líbero Badaró, morto em São Paulo, em novembro de 1830, por inimigos políticos. Curiosamente, o Dia do Jornalista é também comemorado no dia 24 de janeiro, por ser a data do padroeiro da profissão, São Francisco de Sales, e no dia 29 de janeiro, como homenagem ao jornalista José do Patrocínio. Com tanta data comemorativa, tá na hora de fazer acontecer, não acham?

Quem sabe é hora de olhar por cima da superficialidade da imprensa em geral, estudar novos focos, quem sabe criar motivação para fazer um jornalismo de humildade e de respeito. Talvez seja um bom momento para descer do palco, deixar de sonhar com o estrelato e usar e abusar dos espaços democráticos que estão no alcance de nossas mãos para tratarmos de causas que realmente importam.

Atrasado, mas cheio de boas intenções, aí vai o nosso parabéns a todos os jornalistas e futuros colegas de profissão.





Vida de estudante: leitura diária

10 04 2008

Aline Matte do 3º período de Jornalismo





Correlação entre prática e teoria

9 04 2008

A matéria de Redação Jornalística III, do terceiro período, é ministrada pelo professor Hugo Paulo Gandolfi de Oliveira. Essa disciplina tem como objetivo geral discutir elementos teóricos sobre o jornalismo interpretativo e proporcionar informações técnicas para a elaboração de textos. Ela ainda pretende fazer uma correlação de dados e técnicas de estruturação jornalística e analisar fatos e fenômenos sociais buscando objetividade e subjetividade na informação.

A inserção, no curso, dessa disciplina, contribui para embasar o aluno teórica e tecnicamente na construção de textos jornalísticos bem elaborados, com maior detalhamento na apuração, interpretação criteriosa e aprofundamento na redação. Seu conteúdo teórico-prático está voltado à plena formação para a atuação profissional e valoriza ainda a prática jornalística como exercício fundamental no meio social.

Segundo o professor “é apartir daqui que os alunos poderão começar a ter a real noção de como é o dia-a-dia de um jornalista e a vida da dentro de uma redação.” Nesse período os alunos começam a redigir textos mais longos e também editarão o jornal semestral “Jornalismo na Pauta”. Como referências bibliográficas para a aula o professor Hugo usa três principais: Jornalismo Interpretativo: Filosofia e Técnica de Luiz Beltrão, Jornalismo de revista de Marilha Scalzo e Perfis e como escrevê-los de Sérgio Vilas Boas.





The Wall nas aulas de Língua Portuguesa III

2 04 2008

O terceiro período de jornalismo da Unochapecó assistiu o filme The Wall no dia 8 março para trabalhar análise do discurso. A proposta é da disciplina de Língua Portuguesa III com a professora Juceli Morelo Lovatto.

O filme é uma interpretação do disco, de mesmo nome, da banda inglesa Pink Floyd e conta a história de vida do vocalista da banda, Roger Waters, também roteirista. Lançado em 1982 The Wall tem direção de Allan Parker e é um marco de toda uma geração.

De acordo com a professora, a escolha desse filme se deu devido as diversas linguagens utilizadas, o que permite trabalhar as formas de discurso, além de estudar várias interpretações e ângulos de uma mesma obra. Com base no conteúdo estudado em sala de aula, os alunos devem produzir um texto a respeito do filme.pink.jpg

Rafaela Fusieger, assistiu mais duas vezes The Wall para tentar analisar todos os detalhes. A estudante considerou a obra muito útil para se trabalhar a análise do discurso, especialmente pelas questões históricas e a discussão dos problemas psicológicos. “O filme realmente instiga a fazer uma análise mais aprofundada” complementa.