Atualidade e interatividade são temas de discussão

29 05 2008

No último dia 16 de maio, uma aula interdisciplinar envolveu os acadêmicos do primeiro, terceiro, quinto e sétimo períodos de Jornalismo. As disciplinas Sociologia da Comunicação, Técnica de Reportagem e Entrevista II, Edição Jornalística e Teorias do Jornalismo trouxeram os pioneiros de um site jornalístico de Chapecó.

De acordo com o professor de Teorias do Jornalismo e coordenador do curso, Jorge Arlan, o objetivo foi discutir com os alunos a interatividade e instantaneidade que a era digital proporciona. Os responsáveis pelo portal de notícias DeFato falaram sobre as dificuldades financeiras, o público-alvo e a seleção de notícias.

Anúncios




Edição Jornalística: conceitos e objetivos

5 05 2008

Importante tarefa no jornalismo impresso, a edição é um trabalho realizado pelo editor-chefe, que inclui dirigir a redação de um veículo ou determinada seção e supervisionar ações para que o fotojornalismo seja transformado em notícias mediamente apuração das informações, redação, definição de ilustrações e disponibilização de meios materiais para execução.

O editor, ainda exerce o controle operacional e é o responsável pela aprovação dos textos para publicação, decidindo adequações e posições das matérias no corpo do veículo.

A disciplina de Edição Jornalística, dirigida pelo professor Hugo Paulo Gandolfi de Oliveira, objetiva passar aos acadêmicos do quinto período essas e outras noções sobre a importância da atividade.

Uma proposta prática da disciplina é a produção do jornal laboratório“Passe a Folha”, no qual os acadêmicos produzem matérias e um conselho editorial formado por cinco alunos decide, com base nos conceitos de edição jornalística, o que pode ou não ser publicado. A disciplina visa também instigar nos alunos discussões pertinentes ao jornalismo.





Seminário de Atualidade 2008: um espaço para discussões no curso de jornalismo

23 04 2008

Discutir questões da atualidade que possam ser geradoras de conhecimento e ouvir diversas opiniões sobre um mesmo tema são fatores importantes na vida de qualquer “aspirante” a jornalista. O Seminário de Atualidade, promovido anualmente pelo curso de Jornalismo, procura sempre trazer aos acadêmicos a possibilidade para este tipo de aprendizado.

A edição deste ano inicia no dia 22 de abril. Terá como foco para as discussões o tema “As expressões marcantes na literatura, na música e no cinema brasileiro”. Para o primeiro dia estará presente o palestrante Maurício Monteiro, professor de Música do Conservatório Musical do Brooklin, que vai falar aos presentes sobre “Música e brasilidade: do lundu ao funk”. No dia 23 as discussões apóiam-se em dois temas: “Um cenário do cinema no Brasil: raízes, impactos e perspectivas” e “O significado de Glauber Rocha para o cinema brasileiro”, com o sociólogo e professor universitário Sérgio Santeiro. Para este dia também está programada a exibição de filmes curta-metragens para posterior discussão sobre conteúdo e forma.

No terceiro dia, além da palestra “Obras que disseram o Brasil”, com o escritor Paulo Seben, haverá o painel “Expressões marcantes: outros olhares” com a participação do professor de letras da Unochapecó Valdir Prigol, do teatrólogo Avito Darci Correa e do especialista em cinema João Fernando Lucas.

O último dia encerra o cronograma do Seminário com a explanação da jornalista e mestre em Antropologia Social Cláudia Lago, que falará sobre “O ethos romântico do Jornalismo percebido pelo cinema”.

Todas as discussões acontecem no auditório do bloco G e iniciam às 8h. É válido lembrar que a participação dos acadêmicos de jornalismo é indispensável uma vez que é obrigatória para conclusão do curso e recebimento do diploma.





Telejornalismo II: pesquisa, experimentação e conversa de bar

16 04 2008

Telejornalismo II, no quinto período, é uma disciplina marcada por intensa produção e reflexão. A professora Ilka Goldchmidt explica que a produção de programas jornalísticos envolve duas perspectivas: uma é mais formal, em que os alunos exercitam os modelos padronizados de telejornalismo através da simulação de um telejornal ao vivo.

A outra é totalmente experimental e consiste na criação e produção de um programa com “a cara da turma” . Neste ano, ele se chama “Destilado”. A idéia do nome é da acadêmica Suzane Gobbi. Para a turma, destilar significa selecionar e avaliar criteriosamente. O outro sentido do nome é dado pelo trocadilho “deste lado”, ou seja, um lado diferente.

O programa, que será veiculado na TV Unochapecó semanalmente, com duração de vinte minutos, ainda está em fase inicial de produção. Cada edição terá uma grande reportagem, uma crônica opinativa em vídeo e um participante para discutir os temas durante todo o programa. O cenário está sendo construído para simular um ambiente descontraído, à semelhança de um bar. E não é por acaso. A turma é a mais boêmia do curso e defende o ambiente de bar como espaço propício a discussões de temas relevantes para a sociedade.

Além das atividades práticas, os acadêmicos estão desenvolvendo pesquisas científicas sobre TV pública e uma pesquisa de opinião sobre a TV Brasil, em conjunto com a disciplina de Pesquisa de Mercado e Opinião. O objetivo do trabalho é verificar a percepção do telespectador sobre a TV Brasil, englobando o grau de informação, posicionamento e expectativa do público.





Disciplina de lógica visa aproximar os acadêmicos às regras e princípios do raciocínio

16 04 2008

Avaliação de um argumento e estrutura da argumentação. Estudar as falácias mais comuns nos meios de comunicação, e exercitar tudo isso em forma prática. Através destas atividades, a disciplina de lógica, ministrada pelo professor Flademir Roberto Williges, pretende fazer com que os acadêmicos do quinto período de jornalismo raciocinem logicamente a partir do estudo das formas válidas de argumento e saibam como aplicá-las.

Segundo Williges, a lógica visa desenvolver a capacidade argumentativa (oral e escrita) dos estudantes. Nesse sentido, é necessário conhecer as regras que legitimam e validam a expressão de si e do mundo circundante através do estudo do uso lógico da linguagem.

As aulas são expositivas, seguidas de exercícios propostos aos alunos, orientação de leituras, trabalhos em grupo e análise de textos argumentativos.





Atrasado, mas tá valendo.

10 04 2008

É tão engraçado como quase tudo, menos jornalista, vira notícia. Alguns lembraram sim, até deram um tapinha nas costas daquele colega e blábláblá. E não falo de comemoração, mas de um momento de reflexão pessoal sobre o real papel que estamos, ou que deveríamos, ou que vamos cumprir como jornalistas e formadores de opinião.

No dia 7, foi comemorado um dos nossos três dias comemorativos (eita gente que se sente importante), o Dia do Jornalista.

A data foi estipulada pela Associação Brasileira de Imprensa (ABI) em homenagem ao jornalista e médico João Batista Líbero Badaró, morto em São Paulo, em novembro de 1830, por inimigos políticos. Curiosamente, o Dia do Jornalista é também comemorado no dia 24 de janeiro, por ser a data do padroeiro da profissão, São Francisco de Sales, e no dia 29 de janeiro, como homenagem ao jornalista José do Patrocínio. Com tanta data comemorativa, tá na hora de fazer acontecer, não acham?

Quem sabe é hora de olhar por cima da superficialidade da imprensa em geral, estudar novos focos, quem sabe criar motivação para fazer um jornalismo de humildade e de respeito. Talvez seja um bom momento para descer do palco, deixar de sonhar com o estrelato e usar e abusar dos espaços democráticos que estão no alcance de nossas mãos para tratarmos de causas que realmente importam.

Atrasado, mas cheio de boas intenções, aí vai o nosso parabéns a todos os jornalistas e futuros colegas de profissão.





De olho na evolução constante dos meios

13 03 2008

Como bem coloca o plano de ensino da disciplina de Jornalismo Online (quinto período), “as novas tecnologias de informação e comunicação transformam a prática jornalística”. Esta evolução se dá em todos os meios e é alavancada principalmente pelo advento da internet e outras novas tecnologias de comunicação.

Exemplos dessa transformação são os celulares e os computadores móveis, cada vez mais compactos e equipados com ferramentas que agilizam a comunicação.

Por isso, além de praticar o jornalismo voltado à internet, a disciplina propõe a reflexão sobre os recursos que ajudam o jornalista nos diversos meios. Propõe ainda possibilitar aos alunos o contato com novas ferramentas de informação e contextualizá-los quanto à tranformação tecnológica.

A atividade para a turma neste semestre é o blog coletivo – este que você está lendo – que segundo o professor Érico Assis, “vai ser a experiência prática a partir da qual os alunos vão entender questões de estilo, recursos e publicação na Internet”.