Formandos correm contra o tempo no desenvolvimento dos TCCs

5 05 2008

Conforme encontro coletivo sobre os Trabalhos de Conclusão de Curso (TCC), a maioria dos alunos se encontra na fase de levantamento de dados, entrevistas e questionários. Depois disso, eles se dedicarão às análises das pesquisas e às conclusões que chegaram.

A defesa dos trabalhos ocorre dos dias 23 a 27 de junho. Os alunos correm contra o tempo já que também estão preparando os Projetos Experimentais (PEX). De acordo com o coordenador de TCCs Jorge Arlan de Oliveira Pereira, a maioria dos formandos deu prioridade ao desenvolvimento dos PEXs.

Os alunos, ao final da pesquisa, precisam construir um artigo, que no início do próximo ano serão reunidos em um livro científico. “É importante que eles tenham consciência de que a realização de um bom TCC representa um grande avanço nos seus conhecimentos individuais e uma contribuição ao conhecimento coletivo”, afirma o coordenador.

Ele afirma ainda que os TCCs apresentam temáticas bem interessantes e com diversidade de conteúdo. “Espero que o resultado final das pesquisas confirme nossas expectativas”, conclui.





PEX e TCC: a inclusão das mulheres nos programas de rádio

5 05 2008

O projeto experimental (PEX) da acadêmica de jornalismo Cristiane Rosset é um produto midiático composto por um programa de rádio e material impresso. Pensando em um futuro melhor e nas conseqüências que o homem vem causando ao planeta terra, Cristiane tem como tema do seu projeto “Meio Ambiente e preservação nas ondas do rádio”.

O objetivo do trabalho é conscientizar as pessoas sobre certos cuidados que devem ser tomados no dia-a-dia para que o futuro dos descendentes seja preservado e que tenham qualidade. Este tema vai ser desenvolvido através de um programa de rádio.

A acadêmica conta que a maior dificuldade para a realização do trabalho é a falta de tempo para realizar as pesquisas. Cristiane trabalha em uma emissora de rádio em Chapecó e tem muitas atividades para desenvolver fora da sala de aula e por isso a falta de tempo esta sendo o seu maior inimigo.

Ao mesmo tempo, Cristiane está realizando o trabalho de conclusão de curso (TCC) e o tema do trabalho é “A VOZ FEMININA NAS ONDAS DO RÁDIO: A presença das mulheres nas emissoras de rádios de Chapecó”. O assunto abordado é a participação da mulher como locutora/apresentadora de programas de rádio e a acadêmica conta ainda que sua maior dificuldade está sendo a pesquisa de campo.

Para Cristiane, o tema foi escolhido pelo fato dela trabalhar em uma rádio, por ser mulher e por ter a oportunidade de produzir um material de pesquisa sobre algo que é tão importante, que são as conquistas das mulheres.

O objetivo principal do TCC é saber um pouco mais de como se deu essa participação da mulher no meio rádio, os preconceitos, os desafios enfrentados e suas vitórias e derrotas nos dias atuais. Além de produzir uma pesquisa para que posteriormente mais pessoas tenham acesso a esse tipo de informação, visto que, pouco material referente ao trabalho feminino nas rádios chapecoenses foi encontrado.





TCC: A condição do mendigo na sociedade chapecoense, segundo editorias do jornal Folha D’Oeste

3 04 2008

O trabalho de conclusão de curso (TCC) e também o Projeto Experimental (PEX) da acadêmica Ana Paula Eckert, do nono período, é analisar uma coluna no antigo jornal Folha d´Oeste, veiculado em Chapecó no período de 1966 a 1968. O nome da coluna era “Escritas de Tutée”, que falava sobre a vida dos mendigos chapecoenses.

Tutée era um mendigo e a coluna no jornal recebeu esse nome para criticar as pessoas que moravam nas ruas. Nos anos de veiculação do jornal, Chapecó, em pleno desenvolvimento, ficou conhecida como Cidade das Rosas. As críticas aos mendigos se davam porque a cidade não queria seu lado negativo exposto em praça pública.

A coluna, que se diz ser escrita pelo mendigo Tutée, é o tema central da pesquisa, baseada em análise do discurso. O objetivo do trabalho para a acadêmica é de fato saber como o mendigo era retratado perante a sociedade, analisar os editoriais para saber se Tutée era quem escrevia para a coluna ou se era um personagem que o jornal usou para criticar essas pessoas. Além disso, entender o que a coluna “Escritas de Tutée” realmente queria dizer e analisar o pensamento do jornal.





TCC: Qual realmente foi o primeiro jornal diário a ser veiculado em Xanxerê?

31 03 2008

As formandas de Jornalismo Letícia Faria e Larissa Damian estão elaborando seu Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) com o tema “o início dos jornais diários em Xanxerê”.

O assunto apresenta algumas polêmicas. Primeiro, a dos dois primeiros jornais, Folha Regional e O Diário, terem iniciado suas atividades em 2005. A data é considerada tardia pelas acadêmicas, pois a cidade já apresentava porte necessário para veiculação de um jornal diário anteriormente.

Outra polêmica é referente aos dois jornais terem iniciado suas atividades no mesmo dia.

Letícia conta que a coincidência não existe e que na verdade O Diário já havia elaborado um projeto pioneiro. Ele teria sua primeira edição no dia 16 de agosto de 2005. A veiculação foi cancelada devido a um erro de impressão. Então, empresários da mídia local decidiram, sem planejamento algum, circular um jornal diário antes da concorrência. Assim, o primeiro jornal diário veiculado em Xanxerê foi o Folha Regional.

Em relação ao TCC, ela conta que não houve dificuldade na elaboração de entrevistas. Porém, algumas fontes omitiram os fatos referentes aos dois jornais serem veiculados em datas tão próximas e quem realmente deve ser considerado o primeiro xanxerense. O primeiro a circular foi o Folha Regional, mas O Diário era quem possuía planejamento gráfico e editorial para veiculação.





A divisão cultural de Palmitos

27 03 2008

Os valores culturais da etnia alemã e italiana, passadas através de programas radiofônicos, são objetos de estudo do TCC dos acadêmicos Cléberson Marcon e Silvane dos Santos. O objetivo principal é analisar as relações inter-étnica e religiosa expressas no processo de produção e veiculação dos programas que fazem parte da grade da Rádio Entre Rios de Palmitos.

Segundo Silvane, Palmitos é uma cidade dividida pelas etnias, onde há dois hospitais, dois clubes e dois cemitérios. Sempre um para os descendentes de alemães e outro para os de italianos. Esta divisão cultural despertou a curiosidade dos acadêmicos.

Os programas radiofônicos são veiculados aos domingos: o alemão das 12h às 13h30 e o italiano das 13h30 às 14h30. O conteúdo dos programas é baseado em conversas, música e piadas, além da participação do ouvinte. A diferença entre os programas é que o alemão é comunicado também em Português.

Serão analisadas e comparadas quatro edições de cada programa. A pesquisa será defendida em junho.





PEX e TCC: Histórias do rádio

24 03 2008

radio

O Projeto Experimental (PEX) e o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) que as acadêmicas do nono período Fabiana Kollett e Deisi Cassol vão apresentar trata da história do rádio no oeste de Santa Catarina.

O PEX que está sendo desenvolvido é um um vídeo-documentário dividido em quatro programetes e se intitula “Histórias pitorescas do rádio no oeste catarinense”. De acordo com Fabiana, as rádios que estão estudando estão entre as mais antigas do oeste: a Chapecó AM e a Rural AM, de Concórdia.

O primeiro programete vai falar sobre a história do rádio e as primeiras transmissões. Os anúncios e as radionovelas vão fazer parte do segundo. Já o terceiro trata das concessões e dificuldades. O último fala da cobertura do esporte.

A formanda explica que o documentário ainda está sujeito a alterações, porque caso não haja tantas histórias engraçadas referente a um programete, ele será cortado do documentário. Fabiana conta que o terceiro, que fala sobre as concessões, é o que mais está sujeito a alteração.

O PEX vai ser apresentado em junho, ainda sem data definida. Fabiana conta que a maior dificuldade foi conseguir arquivos em áudio. “Daria mais dinamismo ao documentário, mas a rádio de Concórdia não tinha e a de Chapecó tinha poucos”, esclarece. Agora, o método encontrado para compensar essa falta de arquivos de áudio vai ser os depoimentos dos profissionais de comunicação das rádios.

Já o TCC das alunas possui outra abordagem. As acadêmicas tratarão sobre o pioneirismo do rádio no oeste catarinense. Para isso, além da Chapéco AM e da Rural AM, de Concórdia, vão ser entrevistados os empresários da Catarinense, de Joaçaba.

Os assuntos abordados vão ser as concessões e renovações, a programação, os anúncios, a viabilidade financeira e o desenvolvimento das rádios no decorrer dos anos. Fabiana conta que a parte mais complicada na realização do TCC é a parte de fundamentação teórica, por causa do material de referência.





TCC: Análise de linguagem e conteúdo do jornal A Voz de Chapecó entre 1948-1951

13 03 2008

A acadêmica do nono período de Jornalismo Petra Sabino da Silva aborda em seu Trabalho de Conclusão de Curso a “análise de linguagem e conteúdo do jornal A Voz de Chapecó entre 1948-1951”. Petra escolheu esse tema de pesquisa através de leituras dos exemplares do antigo jornal e se interessou pelas suas editorias.

A princípio, A Voz de Chapecó mostrava-se imparcial, neutro. Mas, segundo a acadêmica, pelo fato do jornal ter circulado no tempo do coronelismo, o trabalho se dá em descobrir se um dos fundadores do jornal, o coronel Ernesto Francisco Bertaso, tinha influência sobre as matérias publicadas. A intenção é identificar o papel dessa figura, representada como o desbravador que trouxe o progresso à cidade.

O objetivo da pesquisa, segundo Petra, é entender o contexto local da época e, a partir disso, analisar o discurso e a linguagem do jornal e o conteúdo das editorias.