O desafio da TV pública no Brasil

5 05 2008

A TVE Brasil (antiga TVE), canal de televisão pública brasileiro que funciona como um serviço federal submetido ao controle da sociedade civil, está no ar desde dezembro de 2007. A emissora é gerida pela Empresa Brasil de Comunicações (EBC) e fiscalizado por um Conselho Curador composto por vinte membros, representantes da sociedade e do governo.

Os objetivos da emissora de TV pública são, através de sua programação, “contribuir para a formação crítica do cidadão, oferecendo produtos artísticos, educacionais, culturais, informativos e científicos, buscando refletir também a pluralidade e a diversidade da sociedade brasileira.”

Apesar de o canal ser recente no Brasil, as discussões sobre como implantar um modelo de TV pública (e não estatal) no país já vêm acontecendo há um bom tempo. Em 2003, a própria TVE realizou um encontro, no qual foram apresentados diversos artigos a respeito de TV pública: modelos adotados em outros países (EUA, Inglaterra, Alemanha); premissas e objetivos básicos; questões relacionadas à programação; ao mercado, etc. O congesso resultou no livro O desafio da TV pública: uma reflexão sobre sustentabilidade e qualidade, que contém os resumos dos artigos apresentados e discutidos durante o evento.





Laboratório de TV inicia digitalização do acervo

6 03 2008

Toda a produção audiovisual dos acadêmicos de jornalismo nas disciplinas de Telejornalismo e Projeto Experimental é arquivada no Laboratório de TV – LabTV. Até 2006, este material era gravado em fitas VHS e Super VHS. A partir de então, com a aquisição do gravador de DVDs, o acervo passou a ser digital.

No início deste semestre, o LabTV começou a transferir o material arquivado nas fitas para os DVDs. Os vídeos são produtos midiáticos como programas experimentais de telejornalismo, documentários, telejornais, vídeos do minuto e curta-metragens, além de outras produções. Também serão digitalizadas gravações de eventos promovidos pelo curso de jornalismo como palestras e seminários.

Segundo a coordenadora do LabTV, professora Ilka Goldschmidt, o desafio desta tarefa é concluir a digitalização de todo o acervo até o fim do semestre. Para isso, os técnicos e estagiários utilizam o tempo ocioso do laboratório. Além de aliviar o espaço nas prateleiras dos armários, este trabalho vai facilitar o acesso do público acadêmico. A hemeroteca vai receber cópias do acervo para uso dos interessados, conforme a proposta da coordenação do curso de jornalismo de transformar aquele laboratório em um espaço multimeios.





Oficina de Telejornalismo

6 03 2008

Durante toda a semana passada, de 25 à 29 de fevereiro, 22 alunos do curso de Jornalismo da Unochapecó participaram da oficina de Linguagem para Telejornalismo, ministrada por Cléberson Silva.

Cléberson é egresso do curso e já trabalhou como repórter e apresentador da RBS TV e da Record. No decorrer da semana, Cléberson repassou informações a respeito das técnicas do telejornalismo, falou sobre a estrutura das emissoras e sucursais de TVs no estado e também deu dicas sobre o dia-a-dia corrido da redação de um telejornal.

Na quinta-feira, os alunos tiveram a oportunidade de colocar em prática um pouco do que aprenderam na oficina. A experiência foi simular um telejornal ao vivo, com matérias produzidas pelos participantes, sob a orientação de Cléberson.

Bruna Deitos, acadêmica do 5º período, está cursando a segunda cadeira de telejornalismo e afirma ter gostado da oficina porque, além de ter reforçado o que está aprendendo em sala de aula, também oportunizou a vivência da rotina do telejornal. ” Pudemos aprender na correria como é o dia-a-dia na redação e também descobrimos funções novas, funções que não sabíamos a qual personagem dentro do telejornal cabe”, diz.